Todos ao aeroporto de Confins na manhã de segunda-feira, 10 de outubro

Compartilhe

O governo do agora efetivo presidente Michel Temer já mostrou que está determinado a aprovar, a qualquer custo, as medidas em tramitação no Congresso Nacional que atacam direitos históricos dos trabalhadores do serviço público e da iniciativa privada e preveem redução drástica de gastos nos setores de educação, saúde e projetos sociais, sob pretexto de garantir o famigerado ajuste fiscal, mas com o objetivo único de aumentar o superávit primário e o repasse de recursos públicos ao setor privado. Diante disso, o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos (Fonasefe), que tem entre seus integrantes a Fenajufe, em reunião realizada na última terça-feira, 4, em Brasília (DF), também decidiu intensificar, com o mesmo ímpeto e determinação, as mobilizações de toda a classe trabalhadora e movimentos sociais pela rejeição imediata de tais pautas.

Com o propósito de agitar as ruas com essa mobilização, o Fonasete também aprovou um calendário de lutas (veja ao final desta matéria) que inclui mobilização nos aeroportos (estados) e no Congresso Nacional contra a aprovação da PEC 241, na próxima segunda-feira, 10; Dia Nacional em Defesa do Serviço Público com mobilização/paralisação nos estados para construir a greve geral, no dia 25/10; e greve geral em novembro, tendo como referência o dia 09/11.

Incorporando o calendário aprovado em âmbito nacional, o SITRAEMG convida os servidores do Judiciário Federal em Minas Gerais a comparecerem ao aeroporto de Confins na próxima segunda-feira, 10, a partir das seis horas da manhã, para grande mobilização junto aos deputados e senadores mineiros que lá comparecerem para decolarem para Brasília (DF). Uma equipe de coordenadores e funcionários do SITRAEMG estará concentrada próximo a rampa de subida para o portão de embarque para a capital federal.

Os outros dois itens do calendário de mobilização serão debatidos junto com outras questões a serem definidas no Plano de Lutas programado para o evento “Reforma da Previdência – Grande encontro para debates – Elaboração conjunta de Plano de Lutas”, que será realizado no dia 15 de outubro, no Intercity Hotels, em Belo Horizonte, e em assembleia geral extraordinária que será posteriormente convocada pelo SITRAEMG.

As propostas mais do que indecentes de Temer

Proposta de Emenda à Constituição 241/2016 voltou à pauta, com tramitação acelerada, e já teve o parecer substitutivo aprovado na Comissão Mista do Congresso no final da tarde dessa quinta (6), por 23 votos a 7.

Também já estão em discussão na Casa as reformas política e da previdência, o Projeto de Lei da Câmara PLC 54/2016 (antigo PLP 257/2016), junto com o PL 4567/16, que trata do fim da participação obrigatória da Petrobras no Pré-Sal, votado na noite dessa quarta-feira (5). Além disso, a Medida Provisória 746/2016, da contrarreforma do ensino médio e os projetos de lei, que visam introduzir o programa “Escola sem Partido” na Lei de Diretrizes e Base da Educação, ganham força entre os parlamentares.

Nessa quinta-feira, 6, o ministro da Casa Civil, Eliseu Quadrilha anunciou à imprensa que a proposta de Reformas da Previdência já foi entregue a Temer.

Presidente do TST colaborando para o ajuste fiscal

E uma questão que interessa diretamente aos servidores da Justiça do Trabalho – e à sociedade em geral, é claro – se refere à atitude absurda do presidente do TST, ministro Ives Gandra Martins Filho, de pedir a retirada de todos os projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados que dispõem sobre a criação de Varas do Trabalho, cargos e funções nos Tribunais Regionais do Trabalho e no CSJT. A medida, informou o TST em matéria publicada em seu site (confira AQUI), “é uma das estratégias da Justiça do Trabalho visando à abertura de uma exceção no ajuste fiscal que permita que o acesso à fonte própria de remuneração de depósitos judiciais não se limite ao previsto na PEC 241, prestes a ser votada no Congresso Nacional”. “Esperamos com isso a compreensão do Congresso e do Governo de que não desejamos a expansão da Justiça do Trabalho, mas esperamos continuar com as portas abertas. Só com esta exceção poderemos funcionar com normalidade”, declarou o ministro, referindo-se às restrições de gastos impostos à Justiça do Trabalho, que vem prejudicando sensivelmente a prestação jurisdicional aos trabalhadores e sobrecarregando ainda mais os seus servidores, em razão do corte orçamentário determinado pelo governo.

O presidente do TST não mencionou, em momento algum, que o governo escolheu “a dedo” os setores públicos em que seriam efetuados cortes orçamentários e que a redução na fatia destinada à Justiça do Trabalho insere-se no rol de uma série de medidas que pretende tomar com o objetivo de enfraquecer essa Justiça e, por tabela, deixar em desamparo a classe trabalhadora. A outra medida de peso dentro dessa linha de raciocínio do Executivo é a flexibilização das leis trabalhistas, cuja proposta começou a ser aventada no governo Dilma e já está sendo preparada pela equipe de Temer para ser encaminhada o mais rápido possível ao Congresso Nacional.

Calendário aprovado pelo Fonasete

10/10: às 10h, na sede do ANDES-SN, reunião do Fonasefe, entidades de servidores estaduais e municipais, movimentos sociais e centrais.

10 a 12/10 – mobilização nos aeroportos (estados) e no Congresso nacional contra a aprovação da PEC 241.

 25/10 – Dia Nacional em Defesa do Serviço Público com mobilização/paralisação nos estados para construir a greve geral.

Greve Geral – Indicar a primeira quinzena de novembro, com data de referência no dia 09/11.

*Com informação da Agência Câmara

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags