Assédio Moral e saúde do (a) servidor (a) são temas de palestra em Juiz de Fora

Compartilhe
DSC_0022
15.04.2023 – Arthur Lobato em palestra no Encontro Regional de Juiz de Fora.

A primeira palestra do Encontro Regional da Zona da Mata tratou do tema: “O Sitraemg enfrentando o assédio moral, sexual, a discriminação e o racismo no PJU”.

O encontro foi realizado no sábado, 15 de abril, e a palestra foi feita por Arthur Lobato, psicólogo e responsável técnico pelo Departamento de Saúde do Trabalhador e Combate ao Assédio Moral (DSTCAM).

O psicólogo explicou que o Sitraemg disponibiliza o atendimento a filiados e filiadas, num trabalho de “prevenção e acolhimento, de forma a preservar a vítima”, disse.

Reestruturação produtiva, assédio moral e adoecimento

Segundo Lobato, atualmente, o Poder Judiciário passa por profundas transformações tecnológicas, com o Judiciário 4.0. Junto a isso, há a permanente exigência de aumento da produtividade e do cumprimento de metas.

Para ele, a política de metas deve ser adequada às condições reais onde o trabalho é executado. E que os critérios utilizados para medir as metas precisam considerar que há “processos mais complexos e há outros mais simples”.

De acordo com o psicólogo, a sobrecarga de trabalho “gera alto nível de estresse e de adoecimento”. Lobato explicou que o ambiente de metas abusivas é um terreno fértil para o assédio moral.

Para definir o que é o assédio moral, Lobato citou os pesquisadores Margarida Barreto e José Roberto Heloani. Para eles, o assédio moral é “uma conduta abusiva, frequente e repetida, que visa humilhar, desqualificar um indivíduo ou um grupo, degradando as suas condições de trabalho, atingindo a dignidade”.

“O assédio é exercido por quem tem poder. Isso faz com que a vítima internalize, adoeça, às vezes, levando para casa, descontando nas pessoas queridas”, completou.

Segundo disse, a atuação desenvolvida pelo DSTCAM, do Sitraemg, serve para barrar o assédio no seu início, buscando preservar a saúde do servidor e da servidora. De acordo com Lobato, a consequência do assédio moral pode ser a “ansiedade, a depressão, o estresse e o burnout”, sendo este de difícil recuperação. “É preciso atuar para evitar o adoecimento emocional”, concluiu.

VEJA AS FOTOS

DSC_0020

DSC_0042

DSC_0027

Assessoria de Comunicação
Sitraemg

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags