Argentinos fazem greve geral contra as medidas de Milei

Compartilhe

Está prevista para esta quarta-feira, 24 de janeiro, uma greve geral na Argentina. Na pauta das centrais sindicais e movimentos sociais está o rechaço a uma série de medidas econômicas e sociais do presidente Javier Milei.

Em dezembro passado foi apresentado ao Congresso Nacional “Lei de Bases e Pontos de Partida para a Liberdade dos Argentinos”. Apelidada de “Lei Omnibus”, o projeto propõe a declaração de emergência pública em diversas áreas até 2025.

A proposta prevê privatizações de empresas públicas, congelamento de aposentadorias, uma severa reforma trabalhista, entre outras medidas. O parlamento argentino começa a debater as mudanças agora.

A Confederação Geral dos Trabalhadores (CGT), uma das maiores centrais sindicais do país, está à frente das mobilizações e declarou greve geral a partir as 11h (horário local) de 24 de janeiro. A manifestação incluirá uma mobilização no Congresso Nacional.

Desde que assumiu, o governo Milei demitiu 7 mil servidores públicos e estuda medidas para o congelamento de salários e redução de até 15% para servidores públicos.

A coordenação do Sitraemg manifesta seu apoio aos trabalhadores argentinos, que se mobilizam contra um pacote de medidas que vai aumentar ainda mais a pobreza e a miséria no país.

Assessoria de Comunicação
Sitraemg

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags