XVI Plenária Nacional da Fenajufe inicia pedindo unidade na categoria

Compartilhe

Participantes da mesa de abertura da XVI Plenária enfatizaram a necessidade de união da categoria em torno da luta por direitos (Foto: Janaina Rochido)

Começou na tarde desta sexta, 3 de junho, a XVI Plenária Nacional da Fenajufe, evento da federação que reuniu cerca de 200 pessoas, entre delegados e observadores, de 25 sindicatos do Brasil. O objetivo da plenária é principalmente debater e deliberar sobre o PCS e o plano de lutas da categoria. O evento acontecerá até este domingo, 5 de junho, no Windsor Guanabara Hotel, no Rio de Janeiro.

Foi o presidente do Sisejufe-RJ, Roberto Ponciano, quem abriu os trabalhos, dando as boas vindas aos participantes e desfazendo a imagem do Rio de Janeiro como uma cidade de samba, mar e futebol: “É preciso fazer justiça ao Rio de Janeiro como uma cidade de sindicalismo combativo e resistência trabalhadora”, disse. As falas dos outros convidados a compor a mesa trouxeram um pedido comum a todas: a conjuntura de intransigência do governo e a união e solidariedade da categoria em torno da luta pela conquista de direitos dos trabalhadores.

A mesa de abertura também contou com os representantes da Fenajufe Ramiro Lopez e José Carlos Pinto, além de Jaqueline Albuquerque, também como representante da Central Única dos Trabalhadores – CUT e Saulo Arcangeli, do Sintrajufe-MA; Marcos Santos e Heitor Fernandes, respectivamente representantes da CTB e CSP/Conlutas, o deputado federal e ex-dirigente da federação e do Sindjus-DF, Roberto Policarpo (PT-DF), e dois convidados estrangeiros, o argentino José Luiz Roncone, da Federação Judiciária Argentina e Raul Vásquez, da Associação dos Funcionários do Judiciário do Uruguai. Antes das falas começarem, houve uma homenagem ao sindicalista Alê Junqueira, do Sintrajufe-RS, que faleceu há um ano. Emocionados, companheiros leram textos e poemas enquanto uma coletânea de fotos de Alê era apresentada em um telão.

Os convidados Raul Vásquez e José Roncone relataram a mobilização em seus países no sentido de uma luta conjunta da classe trabalhadora e destacaram a necessidade de continuar agindo para que todos os trabalhadores da América Latina sejam “livres” do capitalismo. Marcos Santos, da CTB, frisou que, “qualquer que seja o governo, sempre haverá lutas a serem feitas” e que, independente da proposta aprovada ao fim desses três dias de trabalhos, que ela seja unificada e ajude na unidade da luta.

Bastante aplaudido, o deputado Roberto Policarpo, após saudar o Sindicato carioca pelo seu aniversário de 22 anos e lembrar que ele foi um dos primeiros Sindicatos de servidores públicos no país, lembrou o momento difícil vivido pela categoria frente aos planos da União de aprovar diversos projetos que retiram direitos da categoria (como o PLP 549/09, que prevê o congelamento salarial) e fez um apelo aos presentes: “não podemos ser egoístas e defender só a proposta A, B ou C, mas buscar uma unidade que coloque todos em movimento em uma mesma direção”, disse.

Encerrando, José Carlos Pinto, dirigente da Fenajufe, endossou a fala de Policarpo e disse esperar que todos saíssem da Plenária Nacional “com as armas necessárias para fazer frente aos embates que virão nesse caminho”. A Plenária Nacional da Fenajufe reinicia amanhã, sábado, às 9h.

Veja algumas fotos da abertura da XVI Plenária Nacional da Fenajufe:

[nggallery id=43]

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags