Sitraemg organiza caravana a Brasília para pressão sobre o STF, dias 21 e 22/06, pela recomposição salarial

Compartilhe

O Sitraemg está organizando caravana para mais uma jornada de mobilização pela recomposição salarial, em Brasília (DF), nos dias 21 e 22 de junho.

As atividades que serão realizadas na capital federal nesses dias fazem parte de calendário de mobilização da Fenajufe.

A viagem será de avião, com saída na manhã do dia 21 (terça-feira) e retorno no final da tarde do dia 22 (quarta-feira).

Os interessados devem se inscrever pelo e-mail cassiam@sitraemg.org.br, até as 16 horas de sexta-feira, 17 de junho. No e-mail, devem informar o nome completo, local de trabalho em que é lotado(a) e números do documento de identidade e do telefone celular.

Além das passagens e hospedagem na capital federal, o Sitraemg custeará diárias de R$120,00 para despesas com alimentação.

Filiados que residem em cidades próximas a Brasília e queiram participar das atividades poderão ir de carro, e terão o reembolso na proporção de R$ 1,50 por quilômetro percorrido.

Se forem de ônibus, o reembolso será pelo valor do comprovante de deslocamento (passagem, etc).

O momento é de pressionar também o STF

Os dois dias de mobilização nacional na capital federal terão como foco o Supremo Tribunal Federal. Os servidores do Judiciário Federal irão cobrar do presidente do STF, Luiz Fux, o envio de anteprojeto de recomposição das perdas salariais da categoria.

A previsão é de que, até o final de 2022, essas perdas chegarão a 30,66%, a contar de janeiro de 2019, início do governo Jair Bolsonaro.

Em reunião com o Sitraemg, no dia 7 de junho (alteração), o diretor-geral do STF, Edmundo Veras, informou que faria uma consulta ao Executivo pedindo posicionamento oficial sobre o reajuste.

Veras relatou, também, que o Supremo estaria realizando estudos para verificar a viabilidade da concessão de uma reposição salarial para os servidores do judiciário federal em 2023. Segundo ele, o judiciário já tem a previsão orçamentária. Falta só concluir esses estudos e definir em que formato se dará o aumento, para que a verba seja incluída na peça orçamentária do ano que vem.

Junto à luta pelo reajuste emergencial de 19,99% ainda para este ano, o desafio dos servidores do PJU é também pressionar pelo envio de anteprojeto da recomposição salarial da categoria, de pelo menos 30,66%, para o ano que vem.

Nas mobilizações, os servidores também defenderão atuação do Supremo em relação ao nível superior dos técnicos judiciários e do reajuste da indenização de transporte dos oficiais de justiça.

Assessoria de Comunicação
SITRAEMG

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags