Filiadas e filiados debatem carreira e elegem representantes de MG para Encontro da Fenajufe

Compartilhe
DSC_0225
6.5.2023 – Filiados e filiadas participam do Encontro Estadual de Carreira

No sábado, 6 de maio, filiados e filiadas do Sitraemg participaram do Encontro Estadual de Carreira. O evento reuniu propostas de Minas Gerais para o Encontro Nacional de Carreira da Fenajufe que acontece nos dias 20 e 21 de maio.

Além disso, o Encontro Estadual elegeu 10 delegados (as) do estado para o evento nacional. Desses, 4 participarão presencialmente, os outros 6, virtualmente.

Realizado na sede do Sitraemg em formato híbrido, o Encontro Estadual reuniu servidores e servidoras de diferentes regiões do estado. Presencialmente, foram 43 servidores (as) e, virtualmente, chegou a ter 72 participantes.

As mesas foram conduzidas pelos coordenadores do Sitraemg Lourivaldo Duarte, Hélder da Conceição Magalhães Amorim e Rosimare Alves Ribeiro Petitjean.

Ao todo, 20 filiados (as) se candidataram para participar do Encontro Nacional da Fenajufe, e os presentes votaram em até 10 candidatos (as). Votaram 111 filiados (as). Seguindo os critérios da Fenajufe que considera cargo, ramo/órgão e gênero, foram eleitos:

– Marcos Antônio Paiva – oficial de justiça – 61 votos – participará presencialmente

– Soraia Aparecida Maia Gomes – analista – 56 votos – participará presencialmente

– Denis Graddy – policial judicial – 49 votos – participará presencialmente

– Marisa Campos Tomaz – técnico – 33 votos – participará presencialmente

– Nelson da Costa Santos Neto – policial – 41 votos – participará virtualmente

– Edivalda Andrade Silva – analista – 37 votos – participará virtualmente

– Gabriela Santos Ahnert – oficiala – 33 votos – participará virtualmente

– Petrônio Mendes – oficial – 30 votos – participará virtualmente

– Olavo Antônio Oliveira – oficial – 22 votos – participará virtualmente

– Eliana Leocádia Borges – técnica – 28 votos – participará virtualmente

Propostas

O Encontro Estadual de Carreira aprovou as seguintes propostas a serem apresentadas no evento nacional:

– A remuneração da categoria terá como parâmetro as carreiras jurídicas, incluído o ciclo de gestão, do Poder Executivo, acrescentando Gratificação pela Atividade Fim (Gafim) para os cargos sem gratificação, incluindo inativos (as);

– A partir deste parâmetro, a remuneração da categoria terá a seguinte proporção 100% (analistas), 85% (técnicos) e 50% (auxiliares);

– Manutenção da GAE e da GAS, por serem atividades de risco;

– Incorporação das GAS na aposentadoria;

– Autorização para porte de arma, em tempo integral (em serviço e fora de serviço), para policiais judiciais;

– Unificação da GAJ ao vencimento básico;

– A carreira judiciária será considerada como carreira típica de Estado;

– Nomeação dos oficiais de justiça concursados;

– Realização de concurso para todos os cargos;

– Alteração da nomenclatura de Analista Judiciário “área judiciária” para “área jurídica”;

– Alteração da nomenclatura de Técnico Judiciário “área administrativa” para “Técnico Judiciário para área judiciária”;

– Introduzir nos editais dos concursos “prova de títulos” para todos os cargos;

– Desvinculação do orçamento dos servidores do orçamento da magistratura;

– Garantia de direitos históricos da categoria, nenhum direito a menos;

– Solicitação à Fenajufe de antecipação de Reunião Plenária com a pauta de discussão de carreira;

– Criação de escolas judiciárias onde elas ainda não existam, nos moldes da ENAP;

Palestra

Os desafios da categoria para a reposição das perdas salariais e por um plano de carreira foram apresentados na palestra do assessor técnico da Fenajufe Luiz Alberto dos Santos.

O palestrante fez um panorama da atual situação da carreira da categoria do Poder Judiciário da União e a trajetória remuneratória dos (as) servidores (as).

Luiz Alberto também tratou das legislações que limitam a concessão de reajustes salariais e dificultam a reestruturação da carreira. Ele ainda abordou aspectos específicos da carreira judiciária que impactam diretamente da vida dos (as) servidores (as), como os adicionais e as gratificações.

Para Luiz Alberto, os sindicatos devem defender propostas factíveis e realistas, buscando convergência de interesses e monitorando estudos, discussões e propostas sobre a remuneração.

Para acessar a apresentação feita por Luiz Alberto, clique aqui.

Outra medida defendida por Luiz Alberto é a atuação na tramitação da legislação orçamentária de 2024. Segundo disse, essa atuação deve acontecer sobre o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) e sobre o Projeto de Lei Orçamentária Anual.

O palestrante também defendeu que os sindicatos busquem reabrir negociações sobre reajustes de 2024 e 2025.

Entretanto, pontuou, é preciso ter uma intervenção qualificada, fortalecendo fóruns da categoria e a participação da base. Segundo argumentou, é muito importante o diálogo com todas as bancadas legislativas, não apenas com o governo federal.

VEJA AS FOTOS

DSC_0006 DSC_0017 DSC_0027 DSC_0037 DSC_0045 DSC_0051 DSC_0059 DSC_0081 DSC_0114DSC_0101DSC_0123 DSC_0130 DSC_0140 DSC_0151  DSC_0175 DSC_0176 DSC_0185 DSC_0192 DSC_0202 DSC_0215  DSC_0230

Assessoria de Comunicação
Sitraemg

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags