Em sessão desta quarta, STJ exclui Fenajufe dos dissídios da greve de 2010 e remete processo ao TRF 1

Compartilhe

A 1ª Seção do STJ julgou na tarde desta quarta-feira (11) os três dissídios referentes à greve de 2010 no Judiciário Federal – Petições 7933, 7939 e 7961, respectivamente das Justiças Eleitoral, do Trabalho e Federal. Os ministros decidiram, após um amplo debate, acolher a preliminar apresentada pela Fenajufe, excluindo, portanto, a Federação do processo. Segundo informações do assessor jurídico da Fenajufe, Pedro Maurício Pita, que acompanhou a sessão de ontem no STJ, o dissídio prosseguirá apenas contra o Sindjus-DF e, com isso, os ministros entenderam que a competência passa a ser do TRF da 1ª Região.

Durante sessão do dia 13 de dezembro, o relator, ministro Castro Meira, acolheu o entendimento da Fenajufe, mas manteve o julgamento contra o Sindjus-DF. Na mesma reunião, o ministro Arnaldo Esteves Lima pediu vista e os demais resolveram aguardar a análise para se posicionar posteriormente.

No dia 13 de abril deste ano, o ministro Arnaldo sustentou a incompetência do STJ, avaliando que com a exclusão da Fenajufe do processo a greve deveria ser discutida na jurisdição de um só TRF. No entanto, naquela sessão houve um pedido de vista apresentado pelo ministro Benedito Gonçalves, que nesta quarta-feira apresentou seu voto seguindo entendimento de Arnaldo Esteves Lima, ficando vencido apenas o relator. Assim, o resultado final é o da exclusão da Fenajufe dos dissídios de greve de 2010 e o prosseguimento do processo apenas contra o Sindjus-DF, mas não mais no STJ, e sim no TRF da 1ª Região.

“Entendemos que é uma grande vitória da Fenajufe, primeiro porque havia sério risco de declaração da ilegalidade da greve e de aplicação de multas bastante elevadas. Segundo, porque a decisão representou uma mudança de entendimento do Tribunal. A Fenajufe, através de sua Assessoria Jurídica, levantou com sucesso a tese da legitimidade para responder aos dissídios de greve. Recentemente, a mesma pretensão igual foi feita pela Condsef, sem sucesso. Para nós, a virada de posição do STJ representa um passo adiante no entendimento do Tribunal Superior sobre a natureza das relações sindicais, matéria que até bem pouco tempo não chegava àquela Corte”, avalia Pedro Pita, a respeito da votação de ontem no STJ.

FONTE: Fenajufe, com informações da Assessoria Jurídica Nacional

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags