XXIV Plenária Nacional da Fenajufe aprova paralisações no dia 20 de junho pelo PCCS da categoria

Sindicatos irão deliberar sobre a paralisação nos estados. Sitraemg já convocou sua base para AGE virtual na quarta-feira (29/05), às 20h
Compartilhe

Assim como ocorreu na Reunião do Conselho Deliberativo do Sitraemg de 18 de maio, a XXIV Plenária Nacional da Fenajufe também aprovou o indicativo de greve por tempo determinado, no dia 20 de junho, em defesa do Plano de Cargos, Carreira e Salários dos servidores do Poder Judiciário da União (PJU).

A Plenária foi realizada no período de 23 a 26 de maio, em Natal (RN).

As coordenadoras do Sitraemg Elimara Gaia, Joana D’Darc Guimarães e Alessandra Barbosa

Pela resolução aprovada, caberá aos sindicatos convocarem assembleias para deliberar, junto a suas respectivas bases, sobre a adesão à paralisação. O Sitraemg já convocou a AGE virtual para quarta-feira, 29 de maio, a partir das 20 horas.

A resolução contempla o calendário de lutas nacional pela aprovação de um novo PCCS. Antes da paralisação do 20, também está prevista uma reunião do Conselho Deliberativo das Entidades (CDE) para o dia 6 de junho, para organizar a mobilização.

  • Confira aqui a galeria de fotos da Fenajufe
Coordenadores do Sitraemg Alessandra Barbosa, Elimara Gaia e David Landau (terceiro na segunda fila) e a diretora de base Lúcia Maria Bernardes (última, a partir da esquerda)

A resolução

Depois de um acordo entra as forças políticas presentes, o texto da resolução foi aprovado de forma simbólica, apenas com algumas abstenções.

O documento avalia que a arrecadação do governo vem só aumentando. Em março deste ano, atingiu o maior volume desde o ano 2000.

Lúcia Bernardes, Joana D’Arc e, na segunda fila, Ellimara Gaia, o diretor de base Lourivaldo Duarte e a filiada Atalide Lopes

Por isso, desmitifica a alegação de que não há recursos para a recomposição salarial. E reforça o alerta à categoria: “a maior e única ferramenta de posse da classe trabalhadora é a sua própria mobilização, com paralisações, atos e greve”.

Os coordenadores Alessandra Barbosa, David Landau e Joana D’Arc

Outros pontos de mobilização contidos na resolução:

  • Não aceitar propostas que ofereçam reajuste salarial com extinção de direitos;
  • Não aceitar a criação de parcelas remuneratórias que subjuguem a categoria à discricionariedade da avaliação de metas institucionais ou de obscuras avaliações funcionais. A remuneração dos servidores não pode estar atrelada ao livre entendimento da administração sobre desempenho funcional ou institucional;
  • Defender a unidade na greve da categoria judiciária;

Presença robusta do Sitraemg no evento nacional

O Sitraemg marcou presença na XXIV Plenária Nacional da Fenajufe com uma delegação de 17 delegados e nove observadores.

Como delegados, estiveram presentes os seguintes filiados: Nélia Vânia Rodrigues de Matos (TRT3), Liana Theodoro Ferreira dos Santos Barreto (TRE-MG), Marco Antônio Paiva Nogueira Júnior (TRF6), Wallace Marques Coelho (TRF6), Lourivaldo Antônio Duarte (TRF6), Artalide Alves Lopes (TRT3), Joana D’arc Guimarães (TRT3), Alexandre Brandi (TRE-MG), Alessandra Matias Barbosa (TRF6), Célio Isidoro Rosa (TRT3), Leonardo Castro de Andrade (TRT3), Tâmisa Gonçalves (TRE-MG), Marcos Vinícius Vieira dos Santos (TRE-MG), Júlio César de Oliveira Brito (TRE-MG), Eliana Leocádia (TRF6), Vera Lúcia Ferreira de Faria (TRE-MG) e Rosimare Alves Ribeiro Petitjean (TRT3). E como observadores, os filiados Sônia Maria Peres de Oliveira (TRT), Lúcia Maria Bernardes de Freitas (TRT3), Enilson Antônio Fonseca (TRF6), Sebastião Edmar Silva (TRE-MG), Olavo Antônio de Oliveira (JM), Karine de Paula Mendes (TRE-MG), Anderson Brandão (TRT3), Evyenia Eliza Varmaxidis (TRE-MG), Alessandra Maria de Oliveira (TRE-MG).

Os coordenadores sindicato Carlos Wagner, Elimara Gaia e David Landau também participaram do evento.

Os coordenadores do Sitraemg Enilson Fonseca e Alessandra Barbosa
O coordenador do Sitraemg Carlos Wagner

Coordenadora do Sitraemg denuncia sequência de golpes contra os servidores em curso no País

Ao se manifestar durante a plenária, a coordenadora-executiva do Sitraemg Joana D’Arc Guimarães denunciou a sequência de golpes contra os servidores públicos em curso no Brasil.

Relatou que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), enquanto concede toda sorte de privilégios aos magistrados, incluindo mais folgas além dos 60 dias de férias anuais, impõe pesadas metas para as varas.

Veja o vídeo:

“Para ele (o juiz) cumprir a meta, tem que esfolar os servidores públicos. Isso é fato, e é o que está acontecendo neste país”’, protestou.

Outro golpe denunciado por Joana D’Arc foi a PEC 32/2020, da reforma administrativa. Lembrou que a proposição prevê a retirada de uma série de direitos do funcionalismo, incluindo uma redução de 25% nos salários e o fim da estabilidade.

A coordenadora do Sitraemg salientou que a proposição está sempre “debaixo do braço” do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP/AL). Toda vez que o parlamentar quer chantagear o atual governo e o funcionalismo, ameaça recolocá-la em tramitação.

Alertou que “o que está acontecendo em nosso país é o centrão mandando no Congresso Nacional”, e que os próprios servidores estão se omitindo em relação a essa situação. “É fundamental a (nossa) mobilização”, convocou, defendendo também o aumento da bancada de servidores públicos no Congresso Nacional, com a eleição de pelo menos um deputado federal por estado.

Assessoria de Comunicação
Sitraemg

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags