Sábado em Casa

Compartilhe

Servidores prestigiam iniciativa do SITRAEMG

A primeira edição do “Sábado em Casa” reuniu servidores, familiares e amigos na sede do SITRAEMG no último dia 28 de abril. O evento teve início com um farto café da manhã, preparado e servido pelo grupo comunitário Semear, projeto social que atua na comunidade do bairro Vera Cruz, em Belo Horizonte.

Na mesa, deliciosas iguarias, algumas delas não tão comuns no dia-a-dia do brasileiro, como os sucos de abacaxi com hortelã e de cenoura com laranja e limão, pães integrais diversificados, bolos de banana com casca, pastas de milho e de ricota com orégano, geléia com casca de abacaxi e, até, um afrodisíaco chá de amendoim.

Logo após o café da manhã, foi dada a largada para uma série de atividades. Oficinas, cursos, teatro, feira de agroecológicos e de artesanato e painel sobre agroecologia aconteceram durante todo o dia.

Oficina de aquecedor solar atraiu pessoas de todas as idades

A oficina de aquecedor solar, no período da manhã, atraiu praticamente todas as pessoas que se encontravam na sede do SITRAEMG no período da manhã. De apostila na mão, adultos, idosos e crianças acompanharam, atentamente, às explicações sobre a montagem de um equipamento (ASBC) capaz de armazenar e aquecer, através da luz do sol, de 200 a 1.000 litros d`água, a um custo bem inferior ao dos aquecedores disponibilizados no mercado.

Infelizmente, o sol não apareceu para que os curiosos constatassem a eficiência do aquecedor que já existia no Sindicato e fora colocado em funcionamento no início do curso. Isso, no entanto, não diminuiu a satisfação dos alunos. André Rodrigues, servidor da 26ª Vara da Justiça Federal, disse que entendeu bem as explicações dos monitores e que se interessou pelo tema, inicialmente, pela sua formação em Engenharia. Ao final, achou a proposta interessante também porque pode beneficiar, principalmente, as pessoas carentes. Ele garantiu que irá estudar mais detidamente a apostila para fixar melhor os ensinamentos.

Esta foi a 5ª edição da oficina, que é dada pelo presidente do SITRAEMG, Carlos Antônio Ferreira, e pelo funcionário do Sindicato, Erinei de Souza Lima

Mudança de cultura

A servidora Maria José Machado, juntamente com a filha Fabíola, seu colega do TRT, Fernando Fernandes, além do bombeiro Sebastião, acompanharam, juntos, a oficina. “Foi fantástico”, afirmou Fabíola, referindo-se ao curso, acrescentando que o aquecedor solar oferece uma ótima alternativa de economia no gasto de energia. “Deu para aprender bastante”, resumiu Maria José, enquanto Sebastião, que havia sido convidado por ela e a filha, observou que a adoção do aquecedor é uma mudança na cultura do gasto da energia, com a opção por um recurso que não prejudica a natureza, e que, “melhor que aprender, é repassar os ensinamentos para outras pessoas”. Fernando Fernandes informou que já havia lido bastante sobre aquecedores solares, achava a alternativa interessante e a oficina do SITRAEMG o ajudou a decidir que irá utilizá-la.

Altair Pinto participava do Sábado em Casa como expositor na feira de produtos agroecológicos, mas garantiu que não se arrependeu de dar uma “escapulidinha” para assistir à aula sobre aquecedores solares. “Já trabalho como bombeiro hidráulico e vi que é fácil construir um aquecedor”, afirmou.

Música suave e produtos saudáveis para comprar

Simultaneamente aos eventos programados, os participantes do Sábado em Casa puderam curtir, ao som suave de um violino, grandes sucessos da música nacional e estrangeira. Em uma feira instalada do início ao fim do evento, puderam conhecer e comprar produtos agroecológicos (hortaliças, café, arroz, feijão, farinha, fubá, girassol, licor de cipó cravo, doces de pequi e buriti, pés-de-moleque, bombons com sabores do cerrado, açúcar mascavo, folhas de capeba, carqueja e erva cidreira, a famosa cachaça, amendoim, biscoitos) e artesanais, como bolsas, tapetes, bijuterias e outros, oriundos de diversas regiões do estado.

Vendendo viçosas hortaliças, o casal Roberto e Valéria da Silva veio de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Roberto disse que costuma vender seus produtos para atravessadores, em sua própria cidade. Recentemente, passou a expor em feira montada em escola da Capital. Para ele, a oportunidade oferecida pelo SITRAEMG amplia as possibilidades de escoamento das hortaliças que ele produz.

Ezequiel da Silva Perúcio, de Tombos, expôs feijão, cachaça e outros produtos. Ele disse que já vende estes produtos para o Rio de Janeiro, através de um rede social que reúne Ongs (organizações não-governamentais), igrejas e outras instituições. Mas achou ótima a iniciativa do Sindicato, principalmente, para tornar conhecida a produção de sua cidade e a Associação dos Pequenos Agricultores Rurais de Tombos (Apat), da qual faz parte.

Garotada se diverte com o boneco Matias

Produção méxico-brasileira, “Matias e el bolo de morango” foi representado pela segunda vez – a primeira foi em dezembro passado – no auditório do SITRAEMG. O espetáculo de bonecos mostra os apuros vividos, em sonho, pelo pequeno Matias. O garoto é atormentado o tempo todo pelo monstro que, apesar de assustar, também brinca com as crianças da platéia. Os dois são os protagonistas da trama, que tem, ainda, as participações da mãe, o pai e o irmãozinho de Matias.

A pequena Thaís, de 5 anos, gostou do espetáculo, mas, principalmente, do pequeno Matias, assim como Guilherme, de 5. Brenda, 8 anos, e a amiga Izabela, 9, divertiram-se mais com o monstro.

“Matias e el bolo de morango” reúne, em seu elenco, o grupo La Coperacha, os atores Ricardo Boi, que manipula o monstro, Gabriela Cupê, Túlio Siero, Marina Clara, Richard Bolívar (diretor artístico), Silvana Morais e Hector Caro (diretor).

Culinária mistura aprendizado com degustação de pratos deliciosos

Ainda dentro do Sábado em Casa, servidores, amigos e familiares presentes participaram das Oficinas de Culinária Andina e de Culinária Saudável. A primeira, conduzida pela nutricionista peruana Laura Elvira Queslloya e a colega Diony Gallegos, diretora executiva do Instituto Latino-Americano de Estudos e Pesquisas. Depois de breve palestra explicativa no auditório, apresentando e destacando o valor nutritivo dos principais produtos agrícolas andinos (quinua, kiwicha, Kanhua e outros), utilizados em iguarias de países daquela região latino-americana, Laura e Diony seguiram com seus alunos para a cantina, onde deram mais explicações, mostraram produtos e serviram, para degustação, alguns pratos, biscoitos, sucos e chás típicos da região.

Culinária saudável

A oficina de culinária saudável foi ministrada por integrantes do grupo comunitário Semear, que serviu o café da manhã do Sábado em Casa. Elas ensinaram aos participantes que é possível comer bem utilizando partes dos alimentos que normalmente são jogados no lixo e que possuem alto valor nutritivo.

Produtores discutem a agroecologia em seminário

Um dos produtores rurais presentes abriu o seminário “Agroecologia: Produtores e Consumidores Tecendo a Rede” lançando um desafio. Segundo ele, grandes grupos econômicos do setor de alimentos procuram monopolizar os meios de produção, comercializando produtos agro-químicos, a preços altíssimos e amealhando lucros exorbitantes. Cabe aos pequenos produtores rurais buscarem, no mercado, alternativas de escoamento dos agroecológicos garantindo, ao mesmo tempo, renda para eles próprios e alimentos saudáveis e a preços cada vez mais acessíveis, para a população.

O SITRAEMG apresentou os indicadores de uma enquete realizada pela entidade junto aos tribunais federais em Minas, a respeito do consumo de produtos agroecológicos entre os servidores. Das 430 pessoas que responderam ao questionário, 60% disseram que não consomem tais produtos, mas desejam incluí-los em sua alimentação. Outros 35% já os consomem. Mais importante dado da sondagem é que cerca de 74% dos entrevistados revelaram-se consumidores potenciais dos agroecológicos.

Compartilhe

Veja também

Pessoas que acessaram este conteúdo também estão vendo

Busca

Notícias por Data

Por Data

Notícias por Categorias

Categorias

Postagens recentes

Nuvem de Tags